Compartilhe!

Notícias

Ego Kill Talent abre os shows do Foo Fighters e Queens of the Stone Age no Brasil

Foto: Lucca Miranda

A turnê maravilhosa do Foo Fighters com o Queens of the Stone Age acaba de ganhar mais uma banda de peso: os brasileiros do Ego Kill Talent abrirão todos os quatro shows aqui no Brasil!

O grupo acompanha a turnê por São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Curitiba em Fevereiro e Março de 2018, e se apresenta antes do QOTSA. Saiba tudo sobre os shows clicando aqui.

Ego Kill Talent

O Ego Kill Talent é uma banda formada em São Paulo em 2014 por Theo van der Loo (guitarra e baixo), Niper Boaventura (guitarra e baixo), Jonathan Correa (vocal), Raphael Miranda (bateria e baixo) e Jean Dolabella (bateria e guitarra), músicos que tem na bagagem bandas como Diesel/Udora, Sepultura, Reação em Cadeia, Pulldown e Sayowa.

Entre as influências musicais do grupo estão o grunge, stoner rock e heavy metal. Em sua discografia, o EKT tem os EPs Sublimated (2015) e Still Here (2016), e lançou seu primeiro álbum de estúdio, homônimo, neste ano.

Em seus três anos de estrada, o grupo já passou pelos palcos do Lollapalooza, Maximus Festival, Rock In Rio, Download Festival (em Paris), além de vários outros festivais brasileiros e shows solo pelo país.

Siga-os no Facebook, InstagramTwitter.

Por: Stephanie Hahne

Foo Fighters lança a inédita “Soldier” por causa beneficente; ouça

Capa do single “Soldier”

O Foo Fighters acaba de lançar a inédita “Soldier”, música gravada para a coletânea 7-inches for Planned Parenthood.

Ao lado de artistas como St. Vincent, Bon Iver, Feist, John Legend, Mary J. Blige, Sleater-Kinney, entre outros, a banda contribuiu com a causa da instituição que fornece cuidados de saúde reprodutiva nos Estados Unidos e em todo o mundo sem fins lucrativos, e agora precisa de apoio para continuar funcionando após ter fundos cortados.

A participação do Foo Fighters foi anunciada em Abril, assim como o leilão de um violão assinado por Dave Grohl, Taylor Hawkins e todos os outros artistas e bandas que participaram da coletânea. Caso deseje comprar o box e realizar uma doação, você pode clicar aqui. 100% do lucro vai para a instituição.

Ouça abaixo “Soldier” na íntegra!

Por Stephanie Hahne

Foo Fighters e Queens of the Stone Age no Brasil: tudo o que você precisa saber!

O Foo Fighters está de viagem marcada ao Brasil e vem trazendo na mala ninguém mais, ninguém menos que o Queens Of The Stone Age! Mas isso você já sabe, né?

Inspirados pelos nossos hermanos do Foo Fighters Argentina e também pelas inúmeras perguntas que vocês não enviaram desde o anúncio dos shows, fizemos um guia com TUDO o que você precisa saber sobre as apresentações, locais, ingressos, etc.

Bora?

Foo Fighters e QOTSA no Brasil?!!! Aaaah, quando?!!! Onde?!!!

Não é um show só não, papai… são cinco! Se liga aí:

Rio de Janeiro
Local: Estádio do Maracanã – Av. Pres. Castelo Branco, Portão 3 – Maracanã, Rio de Janeiro – RJ, 20271-130. Clique aqui para ver as linhas de ônibus, trem e metrô que passam por lá.
Data: 25/Fevereiro/2018
Abertura dos portões: 16h
Início do evento: 19h30
Show de abertura: Ego Kill Talent
Evento oficial: Clique aqui e confirme presença!

São Paulo
Local: Allianz Parque – Francisco Matarazzo, 1705 – Água Branca, São Paulo – SP, 05001-200. Clique aqui para ver as linhas de ônibus, trem e metrô que passam por lá.
Data: 27/Fevereiro/2018 e 28/Fevereiro/2018 (show extra!)
Abertura dos portões: 16h
Início do evento: 19h
Show de abertura: Ego Kill Talent
Evento oficial: Clique aqui e aqui (show extra) e confirme presença!

Curitiba
Local: Pedreira (Pedreira Paulo Leminski) – Parque das Pedreiras, R. João Gava, 970 – Abranches, Curitiba – PR, 82130-010. Clique aqui para ver as linhas de ônibus, trem e metrô que passam por lá.
Data: 02/Março/2018
Abertura dos portões: 16h
Início do evento: 19h30
Show de abertura: Ego Kill Talent
Evento oficial: Clique aqui e confirme presença!

Porto Alegre
Local: Estádio Beira Rio – Av. Padre Cacique, 891 – Praia de Belas, Porto Alegre – RS, 90810-240. Clique aqui para ver as linhas de ônibus, trem e metrô que passam por lá.
Data: 04/Março/2018
Abertura dos portões: 16h
Início do evento: 19h
Show de abertura: Ego Kill Talent
Evento oficial: Clique aqui e confirme presença!

Realização: Live Nation Brasil
Apresentação: Banco do Brasil
Cerveja Oficial: Budweiser

Mapa oficial dos shows: www.eventim.com.br/foofighters

A partir de que idade posso ir aos shows?

A faixa etária é de 16 anos. Se você ainda não chegou lá, precisa estar acompanhado(a) de algum de seus pais ou um responsável autorizado com uma declaração assinada em cartório para ver o Foo Fighters e o QOTSA.

Atenção: menores de 5 anos não entram no show!

E ingresso, onde eu compro?

Essa é a pergunta que mais recebemos na fanpage, no Twitter, no Instagram, no e-mail, por pombo-correio e sinal de fumaça. Então vamos lá!

Shows anteriormente anunciados
A venda geral está aberta desde Outubro no site da Eventim.

Show extra
Dia 27 de novembro, a partir de 00h01, haverá pré-venda exclusiva para clientes Banco do Brasil portadores dos cartões Ourocard Black, Infinite, Nanquim, Platinum Estilo e Grafite Estilo.

De 28, a partir de 00h01, a 29 de novembro, até 20h, a pré-venda será estendida a todos os clientes Banco do Brasil com cartão Ourocard.

Dia 30 de novembro, a partir de 00h01, começa a venda para o público em geral.

E parcelamento… rola?

Agora sim! Após encaminharmos diversas reclamações à produção da banda, eles decidiram junto da Live Nation e Eventim abrir o parcelamento para todos os cartões. Se liga:

Os fãs contam agora com uma nova política de parcelamento para o segundo show em São Paulo, que acontece dia 28 de fevereiro de 2018. Clientes Banco do Brasil Ourocard Black, Nanquim, Platinum Estilo e Grafite Estilo poderão parcelar a compra dos ingressos em até 6x e clientes de outros cartões Ourocard em 5x e podem trocar pontos Livelo por ingressos. Outros cartões podem parcelar a compra em até 4x.

Obs.: Há novidades de parcelamento para os demais shows do Foo Fighters no Brasil também. A nova política é válida para setores específicos em todos os shows e válida apenas para compras com cartão de crédito nos canais de venda oficiais da Eventim. Encontre mais informações no site da Eventim.

Todos os parcelamentos são válidos apenas para compras com cartão de crédito nos canais de vendas oficiais da Eventim.

Quantos ingressos posso comprar?

Segundo a Eventim: É permitida a compra de até seis ingressos por CPF para clientes Banco do Brasil e de até quatro ingressos por CPF para o público geral através do site www.eventim.com.br e outros pontos de vendas oficiais.

Tá… mas e o preço dessa brincadeira aí?

Agora chegamos no faz-me rir, né? Pois então:

Rio de Janeiro
Pista Premium/Bud Zone: R$ 720 (meia-entrada R$ 360)
Pista Comum: R$ 390 (meia-entrada R$ 195)
Cadeira Maracanã Mais: R$ 560 (meia-entrada R$ 280)
Cadeira Inferior Lounge Leste: R$ 520 (meia-entrada R$ 260)
Cadeira Inferior Leste e Oeste: R$ 460 (meia-entrada R$ 230)
Cadeira Superior Leste: R$ 360 (meia-entrada R$ 180)
Cadeira Inferior Sul: R$ 260 (meia-entrada R$ 130)
Cadeira Superior Sul e Nível 5: R$ 220 (meia-entrada R$ 110)

São Paulo (duas datas)
Pista Premium/Bud Zone: R$ 740 (meia-entrada R$ 370)
Pista Comum: R$ 390 (meia-entrada R$ 195)
Cadeira Inferior: R$ 490 (meia-entrada R$ 245)
Cadeira Superior: R$ 270 (meia-entrada R$ 135)
Camarote Inferior e Superior: R$ 490 (meia-entrada R$ 245)

Curitiba
Pista Premium: R$ 880 (meia-entrada R$ 440)
Pista Comum: R$ 440 (meia-entrada R$ 220)
Camarotes: R$ 800 (meia-entrada R$ 400)

Porto Alegre:
Pista Premium/Bud Zone: R$ 680 (meia-entrada R$ 340)
Pista Comum: R$ 360 (meia-entrada R$ 180)
Cadeira Inferior: R$ 420 (meia-entrada R$ 210)
Cadeira Superior: R$ 250 (meia-entrada R$ 125)
Camarote: R$ 500 (meia-entrada R$ 250)
Sky Box: R$ 700 (R$ 350)

Tenho direito a comprar meia-entrada?

Acesse www.eventim.com.br/meiaentrada para conferir o critério da meia-entrada para cada estado, assim como os documentos necessários para comprovar seu direito ao benefício.

Tem taxa de conveniência?

Para quem compra na internet, sim. Além da taxa, que corresponde a uma porcentagem do valor do ingresso, ainda há o custo de entrega do ticket ou impressão. Em certos pontos de venda, como as bilheterias dos estádios, a taxa não é cobrada.

E falando em bilheteria… onde posso comprar fisicamente?

Rio de Janeiro
BILHETERIA OFICIAL – SEM COBRANÇA DE TAXA DE CONVENIÊNCIA
Local: VIVO RIO
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo, Rio de Janeiro/RJ
Horário de funcionamento: Terça a sexta-feira 11h às 18h. Sábados e domingos das 15h às 18h

São Paulo
BILHETERIA OFICIAL – SEM COBRANÇA DE TAXA DE CONVENIÊNCIA
Local: Allianz Parque
Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 1705 – Água Branca, São Paulo – SP, 05001-200 – Bilheteria B
Horário de funcionamento: Das 12h às 20h, de terça-feira a domingo.
Obs.: Exceto em dias de jogos e em horários especiais em dias de shows. Dia 18/10, início de pré-vendas BB, a bilheteria funcionará das 10h às 16h.

Curitiba
BILHETERIA OFICIAL – SEM COBRANÇA DE TAXA DE CONVENIÊNCIA
Local: AMPLITUR
Endereço: Rua Padre Leonardo Nunes, 440, Portão, Curitiba/PR
Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira das 09h às 18h

Porto Alegre:
BILHETERIA OFICIAL – SEM COBRANÇA DE TAXA DE CONVENIÊNCIA
Local: Estádio Beira-Rio – BEIRA RIO PREMIER CLUB
Endereço: Av. Padre Cacique, 891 – Praia de Belas, Porto Alegre – RS, 90810-240
Horário de funcionamento: das 10h às 18h de segunda a sexta-feira

Na bilheteria, você tem a opção de pagar no crédito, débito ou dinheiro. Estes são os únicos pontos de venda!

Atenção: para comprar sua meia-entrada nas bilheterias, é obrigatório apresentar sua carteirinha!

Sou deficiente físico, qual ingresso compro e como?

Para cadeirantes: todos os setores dispõe de uma área confortável para você ficar! As vendas serão feitas APENAS  através da Central de Relacionamento Eventim no 4003-6860 de 2ª a 6ª-feira das 11h às 17h, exceto feriados ou nas Bilheterias Oficiais.

Portadores de deficiência: neste caso, você pode ficar em qualquer setor. As vendas serão feitas normalmente pela internet e bilheterias.

I’m not brazilian/No soy brasileño. How can I buy it?/¿Cómo puedo comprarlo?

English:

You can buy it with your own international credit card at Eventim (click here and, on the upper right corner of the website, choose English) — after the 30th of November for the extra concert in São Paulo — or at the selling points mentioned above in the section “E falando em bilheteria… onde posso comprar fisicamente?”, if you’re currently in Brazil. There, you can pay it on credit or money at said selling points.

If you’re not located here and want to buy it on the internet, Eventim will not ship your ticket internationally, so choose the option to pick it here in Brazil or have it delivered to someone who lives here.

Español:

Puedes comprar tu entrada con tu tarjeta de crédito internacional en Eventim (click aquí y, en la esquina superior derecha del sitio, elija Español) — a partir del 30 de noviembre de 2017 para el concerto extra en São Paulo — o en los puntos de venta mencionados anteriormente (ver “E falando em bilheteria… onde posso comprar fisicamente?”), y si estás físicamente en Brasil podés pagar con tarjeta de crédito o efectivo en puntos de venta.

Si no estás en Brasil y quieres comprar la entrada por internet, tienes que saber que Eventim no hace envíos internacionales, así que tienes que elegir la opción para retirar tu ticket en los puntos de retiro mencionados o si tienes algún conocido que viva en nuestro país, pon su domicilio y elige la opción de envío a domicilio para que llegue allí.

É só isso mesmo?

Bem… sim!

Mas se você tive mais alguma dúvida, não hesite em entrar em contato conosco pelo Facebook ou Twitter, ou com a própria Eventim no FAQ dedicado aos shows. Estamos aqui pra te ajudar. ☺

E aí, ansiosos para ver Foo Fighters e Queens of the Stone Age JUNTOS em 2018?

 

Foo Fighters faz bagunça com Liam Gallagher e Joe Perry no palco do Cal Jam 17

Foto: Giulio Meliani/FFBR

O aguardadíssimo festival Cal Jam 17 aconteceu ontem (08) em San Bernardino, na Califórnia, e é claro que o show do Foo Fighters teve surpresas incríveis.

Depois de apresentações de bandas como Queens of the Stone Age, Japandroids, Wolf Alice, Bob Mould, Cage The Elephant, Royal Blood e muitos outros, Dave Grohl e companhia subiram ao palco para um set de quase 3 horas. Na lista de músicas, o grupo tocou as clássicas “All My Life”, “Learn to Fly”, “These Days”, “Walk”, “This is a Call”, “Best Of You” e mais, além das novas “The Sky is a Neighborhood”, “Sunday Rain”, “Dirty Water”, “Run” e “La Dee Da” — esta última com Dave Koz no saxofone e Alison Mosshart (The Kills) nos vocais.

Para fechar com chave de ouro, a banda trouxe ao palco Rick Astley para cantar “Never Gonna Give You Up”, Joe Perry para cantar “Draw the Line”, do Aerosmith, e Liam Gallagher para uma jam de “Come Together”, dos Beatles. Este final, aliás, foi uma divertida bagunça: Gallagher se confundiu com as letras durante toda a canção, chamou uma fã ao palco para ajudá-lo e, no fim, se jogou na galera. Incrível!

Confira vídeos, fotos e setlist ao fim da matéria.

Cal Jam 17

Além dos ótimos shows, o festival também teve diversas atrações para o enorme público que se reuniu no calorão da Califórnia.

Estivemos por lá — você acompanhou a nossa cobertura no stories do Instagram, né? — e pudemos conferir o Foo Fighters’ Rock n’ Roll Museum, uma exposição repleta de pérolas da carreira da banda. Tem o trono do Dave Grohl, o revólver da capa do primeiro álbum, a porta do Studio 606, a camisa de flanela do Dave, instrumentos da banda, itens usados nos clipes… enfim, muita coisa!

Além disso, o festival também contou com stands patrocinados com algumas atividades, brinquedos de parque de diversão e muito mais. Quando que vão trazer esse festival inteiro pro Brasil, hein?

Mas fique tranquilo, pelo menos uma parcela do Cal Jam 17 estará por aqui. O Foo Fighters e o Queens Of The Stone Age vêm juntos ao Brasil em Fevereiro e Março de 2018, e você pode saber de todas as informações clicando aqui.

Setlist – Foo Fighters no Cal Jam 17

Times Like These
All My Life
Learn to Fly
The Pretender
The Sky Is a Neighborhood
La Dee Da (com Dave Koz no saxofone e Alison Mosshart nos vocais)
Walk
These Days
My Hero
Sunday Rain
White Limo
Arlandria
Rope
Dirty Water
This Is a Call
Misirlou / Cat Scratch Fever / Another One Bites the Dust / Smoke on the Water / Day O (trechos durante a introdução da banda)
Monkey Wrench
Run
Never Gonna Give You Up (Rick Astley cover) (com Rick Astley) (no estilo de “Smells Like Teen Spirit”)
Best of You
Draw the Line (Aerosmith cover) (com Joe Perry)
Come Together (The Beatles cover) (com Joe Perry na guitarra e Liam Gallagher nos vocais)
Everlong

Fotos
Vídeos

Por Stephanie Hahne

 

Dave Grohl e Josh Homme falam sobre o festival Cal Jam e seu “bromance”

Foto por: Kirk McKoy/Los Angeles Times

Em uma sala de gravação quase vazia no seu enorme Studio 606, no vale de San Fernando, Dave Grohl se sentou atrás de um kit de bateria e batucou um forte groove funk, cada batida da caixa reverberando nas paredes do espaço vazio.

“Você sabe o que é uma boa fisioterapia?”, perguntou o líder do Foo Fighters, que quebrou sua perna em 2015 depois de cair do palco durante um show na Suécia.

Em pé, o amigo de Grohl, Josh Homme, o líder das Queens Of The Stone Age que está com uma lesão no joelho, levantou a cabeça para ouvir a resposta.

“Tocar bateria”, disse Grohl.

“Ah, é?”, ele rebateu. “Eu ia dizer [que é uma] dança exótica”.

Este foi um raro desacordo entre esses veteranos de rock de mentalidade parecida, cujo bromance vem desde o início da década de 1990, quando Grohl — então baterista do Nirvana — teve sua mente explodida em um show da banda de stoner-metal de Palm Desert, o Kyuss.

“Eles eram terríveis [na aparência], mas soavam ótimos”, recordou Grohl em uma tarde recente. “Eu fiquei tão ligado neles”.

Desde então, os dois já viajaram e gravaram juntos, e em 2009 eles formaram um supergrupo de curta duração, Them Crooked Vultures, com John Paul Jones do Led Zeppelin.

Agora, os músicos estão se conectando novamente para o Cal Jam, um festival de música agendado para 7 de outubro no Glen Helen Regional Park, em San Bernardino. Nomeado em homenagem ao evento de 1974 que trouxe Deep Purple e Black Sabbath ao Ontario Motor Speedway, o novo Cal Jam apresentará performances de vários atos do rock, incluindo Foo Fighters, Queens of the Stone Age, Cage the Elephant, Liam Gallagher, The Kills, Babes in Toyland, Wolf Alice e Bob Mould.

O evento que Grohl, de 48 anos, liderou com o apoio da Live Nation, também está preparado para oferecer um parque de diversões, filmes ao ar livre, um estúdio de gravação móvel e uma grande e elaborada exposição chamada Foo Fighters Rock ’n’ Roll Museum.

“Dave é conhecido por suas ideias pequenas”, disse Homme, 44, com uma risada enquanto ele e Grohl fumavam cigarros na bagunçada sala de controle do estúdio.

Atrás de Homme, há uma espada gigante apoiada contra uma parede, uma lembrança da festa de 40 anos de Grohl no Medieval Times (onde Homme relembrou de seu primeiro encontro com Jones, balbuciando nervosamente sobre a vida na “antiga e alegre Inglaterra”). No lado de fora do estacionamento, vários roadies estavam se preparando para desmontar uma cabana de madeira que o Foo Fighters construiu para uma aparição na TV — pelo menos até Grohl anunciar que talvez fosse transportar o objeto para San Bernardino para criar um bar de whisky escondido na floresta em torno do Cal Jam.

No entanto, a ideia mais louca de Grohl pode ser de que uma banda de rock valha todos os problemas que ela rotineiramente envolve. De volta ao tempo do Nirvana, caras com guitarras estavam no topo; hoje em dia eles podem se parecer com arquivistas da idade perdida, em comparação com os DJs e os rappers de SoundCloud que comandam a cultura juvenil.

Com exceção que o Foo Fighters e o Queens of the Stone Age estão prosperando, e não por se recusar a evoluir. Homme conhecidamente nomeou sua banda como uma maneira de combater a vibe excessivamente machista que ele sentia estar arruinando o hard rock. E no verão passado, ambos os grupos lançaram álbuns produzidos por produtores pop de primeira linha.

O gosto de Homme pela aventura o levou a contratar Mark Ronson, conhecido por suas colaborações com Bruno Mars e Lady Gaga, para supervisionar o bem recebido Villains.

“Eu tenho um chip no meu ombro, e quando eu o levanto, ele diz: ‘Tenha uma mente aberta'”, disse Homme, que conheceu Ronson enquanto tocava guitarra no álbum Joanne, de Lady Gaga. “Nós fazemos música — não trabalhamos em uma prisão. Quero reservar o direito de me surpreender.”

Com suas letras mordazes e guitarras cortantes, Villains não chega a ser uma tentativa para o Top 40 das rádios; “a vida é difícil / é por isso que ninguém sobrevive”, Homme canta no início da primeira música do álbum, “Feet Don’t Fail Me”.

Como o título sugere, porém, Ronson colocou uma nova ênfase na movimentação rítmica da banda em um disco mais dançável do que qualquer um dos anteriores.

Isso é semelhante ao grau de mudança que Grohl estava procurando ao se juntar com Greg Kurstin para gravar o Concrete and Gold, do Foo Fighters, que entrou em primeiro lugar na Billboard 200 nesta semana. Em fevereiro, Kurstin foi nomeado produtor do ano no Grammy Awards em reconhecimento ao seu trabalho com Adele e Sia, entre outros.

No entanto, Grohl insiste que ele recrutou Kurstin não necessariamente para fazer hits, mas para aumentar a complexidade harmônica de sua música — um trabalho que ele pensou que Kurstin seria capaz de fazer graças ao projeto peculiar de eletro-pop do produtor, o Bird and the Bee.

Ele estava certo: músicas como “Run” e “The Sky Is a Neighborhood” entregam o rock esperado do Foo Fighters, mas vêm também com vocais densos e em camadas que fazem eco com a sonoridade dos Beatles e dos Beach Boys.

Homme e Grohl disseram que cada um decidiu em chamar um colaborador improvável sem saber que o outro tinha feito a mesma coisa. Mas as duas bandas acabaram trabalhando a alguns metros uma da outra em Hollywood: o Foo Fighters no EastWest Studios, e o Queens of the Stone Age na United Recording, ambos na Sunset Boulevard, perto da Gower Street.

“Eu estava ansioso para ir ao estúdio todos os dias e gravar meu disco”, disse Grohl. “Mas eu também estava ansioso para descer e roubar os donuts do Josh e ficar lá nas primeiras três horas de todos os dias. Era tipo o ‘Hill Street Blues'”.

“Deixe-me saber sua opinião sobre este caso arquivado”, acrescentou Homme com uma voz de detetive exagerada.

“Bandas de rock fazendo discos vitais, tentando empurrar as fronteiras — estes dias são poucos e distantes”, continuou Grohl. “Ter Josh tão perto me fez sentir como se não estivéssemos sozinhos”.

De vez em quando, os homens saíam para almoçar; depois, eles se sentavam em um de seus carros e tocavam um para o outro as músicas em que estavam trabalhando.

“Isso não é algo que eu normalmente faria com alguém”, disse Grohl.

“Talvez seja vergonhoso”, concordou Homme. “Mas com ele eu não me sinto assim”.

Enquanto os filhos de Homme brincavam com jogos antigos no lobby do Studio 606 — a família foi para a praia depois da nossa conversa — ele e Grohl descreveram sua relação como especial tanto por sua longevidade (“Essas coisas, elas não tendem a durar “, disse Homme) quanto por seu alinhamento criativo.

“Honestamente, enquanto baterista, ele é a única pessoa com quem eu quero tocar”, disse Grohl, que tocou bateria no Them Crooked Vultures e no álbum Songs for the Deaf, do Queens of the Stone Age, de 2002. “Eu toco com outras pessoas. Mas Josh me faz sentir como se eu fosse o baterista que eu quero ser”.

Foto por: Kirk McKoy/Los Angeles Times

Homme disse ser continuamente inspirado pela ambição de Grohl, ao qual o outro se referiu rindo como “esse ridículo dirigível Goodyear”.

Após o álbum anterior do Foo Fighters, Sonic Highways — que a banda gravou em oito cidades diferentes enquanto era seguida por uma equipe de filmagem da HBO — Grohl disse que tinha uma ideia para fazer o próximo álbum “de uma maneira ainda mais impossível”: ele queria construir um estúdio no palco do Hollywood Bowl e convidar uma audiência para assistir enquanto a banda montava suas faixas.

Ideias mais “pé no chão” eventualmente prevaleceram. Mas Grohl ainda tinha uma data reservada no Bowl, o que levou alguém de sua equipe a sugerir fazer uma festa de lançamento do disco lá. Quando o líder decidiu que o local não era grande o suficiente, o Cal Jam nasceu.

Grohl reconhece que ele está entrando em uma cena de festival extremamente lotada — e fazendo isso bem ao fim de uma temporada em que muitos fãs já gastaram horrores para participar do Coachella ou FYF Fest ou do Classic West. (Um ingresso normal para o Cal Jam custa 99 dólares, cerveja e bolos não inclusos).

Ainda assim, ele está confiante de que seu show proporcionará uma experiência memorável, com “shorts jeans, Michelob, queimaduras solares e bigodes”, como ele disse. E uma lista de bandas escolhidas à mão, que ele disse que constitui uma espécie de “árvore genealógica extensa”.

“É a primeira vez que conseguimos fazer nosso próprio dia de música com nossos amigos”, disse Grohl.

“Pense nisso como o Etsy dos festivais de música”, afirmou Homme, referindo-se ao site de venda de artesanato. “Muitas coisas serão penduradas nos cabelos do seu peito neste lugar”.

Tradução: Stephanie Hahne
Matéria original: LA Times, por Mikael Wood