Compartilhe!

Fã do mês

Este brasileiro tocou com o Foo Fighters diretamente da grade de um show e sobreviveu para contar

Foto: Reprodução/YouTube

Como vocês devem imaginar, o Foo Fighters Brasil recebe histórias de fãs da banda diariamente. Algumas aconteceram em algum show, no encontro com algum membro ou até situações inusitadas em que o fã em questão se meteu. Mas essa aqui é bem diferentona.

O paulista Francisco Alcantara Neto foi a um show do Foo Fighters lá em 2008, na turnê do disco Echoes, Silence, Patience and Grace (2007), em Reno, Nevada, nos Estados Unidos. Como todo bom brasileiro, o cara colou logo na grade com uma bandeirona do Brasil para chamar a atenção do grupo e conseguiu: durante a apresentação, Taylor Hawkins jogou uma baqueta para ele. Acontece que pouco depois, Francisco estaria tocando com banda. Sim, tocando! Mas de uma maneira bem incomum.

Durante a execução de “Breakout”, Dave Grohl percebeu que o brasileiro estava batucando a grade com a baqueta que ganhou. E é aí que o frontman desceu do palco para deixar que Francisco tocasse no microfone, se divertindo com o cara. Isso tudo está gravado, e você pode a partir do minuto 3:40 no player ao fim da matéria.

Sobre a ocasião, o Francisco nos contou:

Foo Fighters é a minha banda favorita, e esse momento foi um dos mais especiais na minha vida! Daria tudo pra viver isso novamente. Tenho acompanhado a turnê em outros países e a expectativa para o show aqui está alta! Quem sabe a gente repete! [risos]

Que baita momento, né?

E realmente, quem sabe Grohl não repete o feito por aqui, hein? Quem aí vai colar na grade pra tentar?

Clique aqui e saiba tudo sobre a turnê do Foo Fighters com Queens Of The Stone Age e Ego Kill Talent no Brasil.

Por Stephanie Hahne

Entrevista com o goleiro Cássio do Corinthians, nosso fã do mês

Conheçam agora a história do nosso ilustre fã do mês.

Cássio Roberto Ramos, ou simplesmente Cássio, um dos maiores goleiros do Brasil, hoje aos 25 anos e com 1,95m de altura, nasceu na cidade de Veranópolis, localizada a 170 km de Porto Alegre, capital do Rio Grande de Sul. Foi no time de sua cidade que Cássio foi descoberto e foi para o Grêmio, onde, no ano de 2006, subiu das categorias de base para o time profissional do tricolor gaúcho.

Em 2007 foi contratado pelo PSV e mudou-se para a Holanda, onde também fez parte de outros times até que, em 2011, após uma recisão de contrato de forma amigável e depois de passar por períodos difíceis, retornou ao Brasil para defender o Sport Clube Corinthians Paulista. Durante o Campeonato Paulista de 2012, Cássio assume a titularidade no gol do time paulista e, desde então, vem conquistando importantes campeonatos, como o titulo inédito da Taça Libertadores da América.

DSC09186

No dia 16 de dezembro de 2012, quando o Corinthians foi campeão Mundial de Clubes vencendo o Chelsea por 1×0, Cássio foi o destaque por conta de sua impecável atuação, e foi escolhido como o melhor jogador da partida.
Cássio é um jogador diferenciado em todos os sentidos, até mesmo em seus gostos musicais. Todos sabem que, no Brasil, a maioria dos jogadores gostam de pagode, funk e aderiram à moda do sertanejo universitário. Cássio é um dos poucos que curtem o bom e velho rock n’ roll e não é só isso: o goleiro campeão é fã de Foo Fighters. Nessa entrevista, ele nos conta como começou a escutar a banda e se tornou fã.

DSC02977

Como você conheceu o Foo Fighters?

Quando eu fui para a Holanda, comecei a acompanhar mais pela disponibilidade de CDs e DVDs lá, eu comecei a comprar mais e a curtir, sempre gostei de rock desde que eu estava no Brasil, mas aqui a gente não tem muito acesso, tem pouca coisa, lá (Holanda) eu consegui encontrar um grande acervo e Foo Fighters é um dos favoritos.

Você toca algum instrumento?

Não. Gostaria de aprender a bateria. Acho muito legal, mas não tenho tempo (risos). Também acho difícil… Quando vou a algum show, gosto de ver o baterista tocando.

Já esteve presente em algum show do Foo Fighters?

Não. Nunca tive a oportunidade de ir a um show, na Holanda demorei para me adaptar, fiquei um pouco atrasado quanto a sair, ir a shows, essas coisas. Não sei quando eles vão vir para o Brasil, mas quando vierem se tiver oportunidade, estarei presente.

DSC09184Você possui algum tipo de ritual antes de entrar em campo?

Não, não. Gosto de ficar concentrado escutando rock e Foo Fighters.

Tem alguma música que marcou algum fato em sua vida? Poderia nos contar?
“Best of You”. Não menosprezando ninguém, mas eu sofri bastante na Holanda, na carreira e muitas pessoas desacreditando também, acho isso ridículo. O mundo dá voltas. A gente tem que estar sempre provando e nunca desmerecer ninguém. Essa música fica para muitas pessoas que não acreditavam em mim, por vezes riam dizendo que eu não ia chegar, quando eu cheguei no Corinthians falaram que não daria certo, então acho que essa música serve como um exemplo.

Se encontrasse o Dave Grohl, o que gostaria de falar pra ele?

Falaria que gosto muito do Foo Fighters… (risos). Tentaria conversar com ele, é um cantor renomado que eu tenho muito respeito por ele faz muito tempo.

Como é a sensação de ser um dos poucos jogadores roqueiros? Afinal, todos sabemos que a maioria dos jogadores brasileiros gostam de pagode (risos) Você divide essa paixão pelo rock com mais algum companheiro de clube?
Que eu saiba não… (risos). O Martinez gostava, mas ele saiu do Corinthians. A galera é do pagode. Quando estou com meu fone, estou sempre ouvindo rock.

Títulos do goleiro Cássio
Seleção Brasileira
• Campeonato Sul-Americano Sub-20: 2007
• Superclássico das Américas: 2012

Corinthians
• Copa Santander Libertadores: 2012
• Copa do Mundo de Clubes da FIFA: 2012

Nacionais
PSV Eindhoven
• Campeonato Neerlandês: 2007-08
• Supercopa dos Países Baixos: 2008

Prêmios Individuais
• Seleção da Copa Libertadores: 2012
• Melhor jogador do Mundial de Clubes – 2012
• Melhor jogador da Final da Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2012
• 7º Melhor goleiro do mundo pela IFFHS no ano de 2012

Obrigado Cássio pela entrevista, e não percam, o Foo Fighters Brasil entrevistará mais fãs famosos da banda.

O Foo Fighters Brasil agradece a Natália Jorge, Fabiana Leite e Daiane Guerino por realizarem a entrevista e o registro das imagens em nome do FFBR.

Até a próxima foo fãs.

Clifferson Araújo – Fã do Mês (Janeiro 2013)

Incentivado pelo seu pai a se tornar músico, o paulistano de 31 anos Clifferson Araújo, mais conhecido como “Cliff”, é um grande fã de Foo Fighters desde os primórdios da banda, que surgiu em Seattle no ano de 1995. Fã de Foo é também de todo o cenário Grunge, começou a tocar guitarra ainda criança, porém, foi por volta dos 16 anos que ele resolveu pegar firme e apesar de nunca ter tido aulas de guitarra, hoje em dia toca nas noites com sua banda cover de Foo Fighters. Ele se considera eclético e suas influências são multiplas.

Vamos agora as perguntas que o nosso fã do mês respondeu prontamente á equipe do FFBR.

Entrevista por: Karina Diaz

Revisão: Astor Silva

FFBR: Por qual motivo você considera o Foo Fighters uma das melhores bandas do mundo?
Cliff: Pelo simples fato de ser uma banda que tem todos os elementos essenciais para isso: música boa, letras muito bem escritas e muita atitude. Na minha opinião, é uma banda completa.

FFBR: Como surgiu a sua banda cover de FF para homenagear a banda?
Cliff: A banda cover surgiu quando estava tomando uma(s) cerveja(s) sozinho em um Pub em São Paulo e então no som ambiente começou a tocar The Pretender. Na hora me veio na cabeça que seria muito interessante ter uma banda pra representar o sons desses caras . Liguei para o Ronas (vocalista do Foo cover) que é meu amigo, irmão de outras bandas que fizemos parte ao longo de dezesseis anos de amizade e disse: “Hey cara, o que acha de fazermos um Foo Fighters Cover?” E a resposta nem preciso dizer né?

Qual a sensação de estar em um palco mandando para os fãs um cover de Foo Fighters?
Pode ter certeza de que é umas das melhores sensações possíveis, fazer o que ama para quem ama. Não poderia ser ruim.

 

 

Você tem uma Fender que foi lançada como uma linha assinada pelo Chris Shifflet. O que te motivou a comprar essa maravilhosa guitarra?
Sem duvidas não foi uma simples aquisição, acredito que seria uma guitarra que teria, independente da banda cover. É uma excelente guitarra que acabei me identificando muito e ainda terei a oportunidade de agradecer ao Chris por ter me apresentado-a… (risos)

Quantas guitarras você ja possui na sua coleção? Qual é a sua preferida?
Atualmente, tenho nove guitarras em atividade, onde cada uma tem a sua característica especifica. Sem demagogia, não tinha uma guitarra preferida até conhecer essa Fender Telecaster, pois ela é uma guitarra que dá pra tocar qualquer estilo que fica excelente. Como sou um aficionado por guitarras, não tenho idéia de onde este número ainda pode chegar…

407931_3802755201040_737419088_n
 

Mande a sua mensagem para quem esta lendo a sua entrevista para o FFBR…
Fala galera! É um prazer dividir este espaço com vocês e só temos que agradecer ao Dave e ao FF por, “ nos tempos de hoje“, ainda nos proporcionarem o prazer de curtir música de verdade. Grande abraço para todos.

Em poucas linhas, diga as suas palavras que você sempre quis dizer para o Foo Fighters.
Muito obrigado por vocês existirem. Congratulations, guys!!!

Julio Meliani – Fã do Mês (Setembro 2012)

Seguramente, Julio Meliani, de 28 anos, é o fã brasileiro que mais viu os Foo Fighters ao vivo e não foi somente isso: o rapaz que carrega consigo três tatuagens em homenagem a eles já esteve com todos os integrantes pessoalmente inúmeras vezes, e isso é um privilégio para poucos. Gostariam de saber curiosidades e histórias deste paulistano que hoje vive na Califórnia? Senhoras e senhores, este é o nosso primeiro entrevistado da coluna “Fã do Mês”. Leia Mais