Compartilhe!

Foo Fighters

Confira a divertida participação do Foo Fighters no Carpool Karaoke (vídeo legendado)

Foto: Reprodução/YouTube

Você deve ter ficado sabendo que o Foo Fighters participou do incrível quadro Carpool Karaoke, do programa The Late Late Show with James Corden, né?

Pois olha que notícia boa: nós legendamos o vídeo para você poder curtir!

Confira abaixo a divertida participação da banda, onde os caras falam sobre pernas quebradas, novo álbum, Rick Astley e duelos de bateria.

Matéria: Stephanie Hahne
Legendas: Stephanne Alves

Foo Fighters chega ao topo da Billboard pela segunda vez com “Concrete and Gold”

Foo Fighters por Mark Seliger/Rolling Stone

Um bandão da porra é um bandão da porra, né? O Foo Fighters acaba de chegar ao topo da Billboard 200 pela segunda vez!

Depois de conseguir o feito com Wasting Light em 2011, agora o grupo se agarrou ao primeiro lugar com seu novo álbum, Concrete and Gold, lançado neste mês de Setembro. Mais de 127 mil cópias do disco foram vendidas, sendo 120 mil delas vendas tradicionais do álbum completo.

Apesar de ser apenas o segundo número 1 do grupo na Billboard, esta é a 12ª vez que o Foo Fighters aparece na lista, com oito destes títulos alcançando o Top 10. A banda estreou por lá em 22 de Julho de 1995 com seu primeiro álbum, e alcançou o Top 10 pela primeira vez com o segundo, The Color and the Shape, em 1997.

E aí, você já comprou o seu Concrete and Gold? Compre aqui!

Por Stephanie Hahne
Fonte: Billboard

VÍDEO: o Foo Fighters tocou no Glastonbury 2017 e você precisa assistir a esse show

Dave Grohl na bateria durante cover do Queen no Glastonbury 2017. Foto: Reprodução/YouTube

Alguém aí espera que um show do Foo Fighters seja menos do que ótimo? A gente não.

E foi exatamente isso que os caras nos provaram mais uma vez com a sua apresentação no Glastonbury Festival, que rolou no último sábado (24).

Em um set de pouco mais de duas horas, os Foos entregaram uma enxurrada de hits e a contagiante carisma de Dave Grohl à multidão reunida em frente ao palco Pyramid. A banda iniciou com “Times Like These”, uma novidade, e a dedicou à cantora Florence Welch. Vale lembrar que em 2015 o Foo Fighters cancelou sua aparição no festival por conta da perna quebrada de Dave, e quem substituiu a banda foi o Florence + The Machine. No dia, o grupo fez uma cover de “Times…” em homenagem a Grohl.

Prosseguindo com o showzão, rolou uma dedicatória de “Cold Day In The Sun” a Liam Gallagher, que tocou mais cedo no festival, e de “Walk” ao cirurgião que consertou a perna do frontman. Mas a melhor veio pouco depois: após avistar um cara completamente nu (!) na plateia, Dave dedicou “My Hero” ao rapaz. Propício.

Mais a frente, antes de tocar a acústica “Skin and Bones”, Dave fez piada com a proibição do evento a palavrões durante os shows. Até então, o recorde de vezes que a palavra “fuck” foi dita era de Adele, mas a banda deu um jeito e fez uma jam onde a letra continha apenas a palavra, várias e várias vezes.

Antes de encerrar a apresentação com “Everlong”, Grohl dedicou a canção a Laura, falecida esposa de um fã que pediu ao vocalista que fizesse isso. Um momento lindo para finalizar um show mais lindo ainda.

Confira abaixo o setlist e o show na íntegra!

  1. Times Like These (dedicada ao Florence + The Machine)
  2. All My Life
  3. Learn to Fly
  4. Something From Nothing
  5. The Pretender
  6. Cat Scratch Fever / Another One Bites the Dust / Blitzkrieg Bop (Ted Nugent/Queen/The Ramones, trechos ao introduzir os membros da banda)
  7. Cold Day in the Sun
  8. Congregation
  9. Walk (dedicada ao cirurgião que consertou a perna de Dave)
  10. These Days
  11. My Hero (dedicada ao peladão na plateia)
  12. Wheels
  13. Run
  14. This Is a Call
  15. Arlandria
  16. Monkey Wrench
  17. Best of You
  18. Skin and Bones
  19. Under Pressure (Queen cover) (Dave na bateria, Taylor nos vocais)
  20. Everlong (dedicada a Laura)

Por Stephanie Hahne

Semana Glastonbury: Perguntas e Respostas com o agente do Foo Fighters, Russell Warby

Russell Warby

Os Foo Fighters vão encerrar as apresentações do Pyramid Stage no Glastonbury neste sábado ─ dois anos depois de terem um show cancelado no festival. A banda deveria ser a principal atração do festival em 2015, mas foi substituída por Florence + The Machine depois que o vocalista Dave Grohl quebrou a perna.

Aqui, o agente deles, Russell Warby (WME), que também representa Jack White e os Strokes, conversa com a Music Week sobre um dos “vovôs” do cenário dos festivais.

Por que o Glastonbury é considerado um evento tão importante?

O Glastonbury é reconhecido como um dos “vovôs” do circuito de festivais, junto com o Roskilde (Dinamarca), Pinkpop (Holanda) e o Rock Werchter (Bélgica) ─ mas é conhecido no mundo todo. Obviamente pode ser um show muito fundamental.

Mesmo antes das coberturas televisivas, uma boa apresentação no Glastonbury podia mesmo mudar o rumo da sua carreira. Tenho certeza de que a Florence substituindo os Foos em 2015 foi muito importante para ela, mas também sei que o Pulp substituindo os Stone Roses foi um show incrivelmente importante na carreira deles. Incidentalmente, acampei perto de Jarvis (que tinha uma cabana fantástica dos anos 70).

O quão integral é uma cobertura televisiva?

Eu acho que a cobertura da BBC é excelente; ninguém faz melhor que eles e obviamente possibilitam que todas aquelas pessoas que infelizmente não puderam comprar um ingresso ou apenas preferem assistir a shows sentados em suas salas de estar tenham a oportunidade de compartilhar toda aquela mágica.

Quando os Foo Fighters tiveram que cancelar o show dois anos atrás, você tinha qualquer suspeita de que a banda retornaria em 2017?

Em 2015, quando o Dave quebrou a perna, tivemos que cancelar vários shows e ficamos muito desapontados. Naquele momento, já sabíamos que o Glastonbury tinha ideias bem definidas quanto a quem eles queriam como atrações principais em 2016, e não foi uma consideração séria para nós o retorno, de qualquer forma.

Comecei a falar com o (co-organizador do festival) Nick Dewey no início do ano passado, sobre os Foos voltarem este ano, porque originalmente 2017 seria um ano de intervalo, mas quando eles decidiram que não seria e que fariam o intervalo em 2018, discutimos com os empresários dos Foo Fighters e todo mundo concordou que seria uma ótima ideia voltar agora.

Quais momentos do Glastonbury vêm à sua cabeça envolvendo artistas que você representa?

Os White Stripes como atração principal do Glastonbury foi um evento extraordinário. Jack White continua apreciando um longo relacionamento com o festial. Ele se apresentou de todas as formas e foi um verdadeiro salto de fé do festival quando os White Stripes foram a atração principal da sexta-feira à noite, foi um dia depois que os céus se abriram e alguém, que trouxe uma canoa, descobriu que seu momento de glória havia chegado.

Os White Stripes nunca tinha sido a atração principal em uma arena, ou qualquer coisa dessa natureza, quando eles encerraram as apresentações do palco principal! O Glastonbury costuma definir o tom, e foi uma decisão ousada, mas sábia assumir esse risco e colocar um artista no palco principal; isso realmente os ajudou a se tornarem atrações principais mais vezes no futuro.

Quais aberturas você considera as mais desejáveis ─ depende de quais atrações estão se apresentando em outros palcos na hora?

Você não costuma saber quem está tocando nos outros palcos até bem mais tarde, porque há muitos agentes trabalhando em palcos diferentes e você nem sempre sabe até o último minuto quem está competindo com o quê. E o festival vai tentar resolver quaisquer conflitos, mas uma hora eles vão acontecer. Quando há tantos palcos assim, você acaba tendo alguns problemas em termos de artistas diferentes que pessoas gostariam de ver tocando ao mesmo tempo.

Muitos artistas acabam fazendo aberturas que eles, talvez, não considerariam normalmente. Acho que é bem conhecido o fato de que, talvez, as aberturas que ocorrem mais cedo na sexta são mais atrativas porque é quando a maior parte do entretenimento ao vivo acabou de começar, então a essa hora você terá pessoas que já chegaram na quarta-feira. Até sexta, no final da manhã, eles já estão desesperados por mais entretenimento.

Provavelmente a fonte dessa mágica é que o Glastonbury nunca poderia ser definido como um tipo ou outro de festival. Nos últimos anos eles começaram a abraçar o rock de uma forma que eles não faziam antes, mas praticamente todo o resto tem sido representado. Onde mais você poderia ver o Johnny Cash se apresentando no palco principal à tarde?

Tradução: Giovana Moretti
Entrevista: James Hanley
Fonte: Music Week

Novo álbum do Foo Fighters terá participação do(a) “maior popstar do mundo”

Dave Grohl ao vivo com o Foo Fighters. Foto: Reprodução

Cada notícia é um tiro: agora sabemos de mais um detalhe bem interessante sobre Concrete and Gold, novo álbum do Foo Fighters.

Em entrevista à BBC, Dave Grohl revelou que nono disco de estúdio dos caras está repleto de participações especiais. E para deixar a gente ainda mais curioso e com vontade de ouvir, Dave deixou escapar que vai rolar uma colaboração com um(a) popstar!

Olha aí o que ele disse:

“Alguns vão realmente surpreender vocês! […] Tem um que é provavelmente o(a) maior popstar do mundo e — não estou brincando — canta o backing vocals de uma das músicas mais pesadas do disco, e não vamos dizer quem é!”

Quem vem à sua cabeça: Adele? Beyoncé? Harry Styles? Bruno Mars? Vale lembrar que quem andou de papo com o rock foi a Lady Gaga após cantar com o Metallica no Grammy Awards deste ano. E também, lá em 2014, a cantora Lorde foi frontwoman do Nirvana durante uma música, na indução da banda ao Hall da Fama.

Concrete and Gold chega às lojas no dia 15 de Setembro, mas você já pode acessar a pré-venda clicando aqui.

Confira a tracklisting:

01. T-Shirt
02. Run
03. Make It Right
04. The Sky Is a Neighborhood
05. La Dee Da
06. Dirty Water
07. Arrows
08. Happy Ever After (Zero Hour)
09. Sunday Rain
10. The Line
11. Concrete and Gold

Por Stephanie Hahne

LEIA TAMBÉM: Confira na íntegra e traduzida a carta de Dave Grohl sobre o novo álbum